Empresários e advogados presos acusados de aliciar adolescentes. (foto: reprodução/Redes Sociais)

A Polícia Civil do Pará aprendeu, durante operação realizada na manhã de ontem, no município de Parauapebas, dois empresários e um advogado acusados de participar em um esquema de aliciamento e prostituição de adolescentes.

Denominada “Book Rosa”, as investigações foram coordenadas pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), da Polícia Civil de Parauapebas, sudeste do Pará. Os homens devem responder por estupro e prostituição de vulneráveis.

Os presos são Mauro de Souza Davi, o Marola, empresário da área de shows; Eduardo Liebert Arapujo dos Santos, emprésario do ramo de segurança patrimonial e o advogado Antonio Araújo Oliveira. Três mandados de busca e apreensão também foram cumpridos pela operação.

Uma outra pessoa está com prisão decretada pela 2ª Vara Criminal de Parauapebas está foragida. Segundo as investigações, era quem aliciava as vítimas.

Segundo a delegada titular da Deam, Ana Carolina Carneiro, três adolescentes foram identificadas e encaminhadas para o acolhimento junto aos órgãos responsáveis. Outra adolescente citada em depoimentos ainda não foi localizada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *