“Somos destaque na região Norte. O Pará continuou gerando emprego, enquanto o Brasil estava fechando postos” | Portal Tailândia.com.br

Encontro selou parceria para traçar ações conjuntas de geração de emprego e renda no Estado, com vistas na qualificação profissional

Uma parceria para traçar ações conjuntas de geração de emprego e renda no Pará começou a estreitar relações entre diversos órgãos do Estado nesta terça-feira (15). A Secretaria de Estado de Trabalho Emprego e Renda (Seter), Secretaria de Indústria Comércio e Mineração (Seicom) e o Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará (Idesp), com participação do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) se reuniram na sede da Seter para discutir estratégias de criação de novos postos de trabalho e capacitação da mão-de-obra paraense.

A junção de esforços e o nivelamento de informações vão impulsionar as atividades desses órgãos para o desenvolvimento de renda e trabalho. O Dieese e o Idesp forneceram dados estatísticos que retratam o índice de empregabilidade do Estado. Partindo dos municípios que apresentam maior geração de emprego e dos que receberão investimentos, é possível saber onde e o que fazer para garantir a ocupação de cada vaga gerada.

O diretor de Pesquisas e Estudos Socioeconômicos do Idesp, Cassiano Ribeiro, o banco de dados está disponível para colaborar com as pesquisas da Seter. “Podemos promover um treinamento com os técnicos da secretaria para que acessem os nossos dados. Nos preocupamos com os índices de geração de renda, os empregos formais e os informais que podem ajudar a Seter no direcionamento que deve tomar”, afirmou.

A secretária adjunta da Seicom, Maria Amélia Enríquez,estabeleceu para essa parceria uma agenda mínima para formalizar o que já vem sendo construído. “Os empreendedores pretendemos atender em conjunto, compartilhar informações de oferta e demanda, fazer pesquisas e produzir um histograma da mão-de-obra paraense”, disse.

Segundo o supervisor técnico do Dieese, Roberto Sena, as vagas estão surgindo em todo o Estado. “Somos destaque na região Norte. O Pará continuou gerando emprego, enquanto o Brasil estava fechando postos. O que nos falta aqui são capacitação e dinheiro para dar conta de capacitar nos 143 municípios“, avaliou.

A Seter apresentou aos demais órgãos os programas de qualificação que executa. “Estamos promovendo capacitação para as áreas que vão receber investimentos e a expectativa é que superemos nossas metas. O programa de artesanato também já identificou 66 municípios com produção. A ideia é que o nosso artesanato vire produto de exportação”, reforçou o coordenador de Planejamento, Carlos Machado.

Para o secretário adjunto da Seter, Daniel Rendeiro, o momento é de unir forças. “Vamos ter um ponto focal na Seicom. Todos temos um só objetivo, que é desenvolver o Estado. Por isso estamos nos reunindo para juntar os esforços. Para um Estado com o potencial do Pará e essa quantidade gigantesca de investimentos que estamos recebendo precisamos fazer o necessário para garantir mão-de-obra capacitada para ocupar esses postos”, concluiu.

 

 

Texto:
Gabriela Azevedo – Seter | via Agência Pará

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.