Naufrágio ocorreu durante a madrugada desta sexta-feira, 19.
Até o momento, três pessoas morreram e 26 continuam desaparecidas

naufragio_cachoeira-arari_portal-tailandia

Embarcação naufragou na madrugada desta sexta-feira, 19 (Foto: Fabiano Villela/ TV Liberal)

Uma embarcação que transportava aproximadamente 60 passageiros naufragou na madrugada desta sexta-feira (19), durante o trajeto de Arapixi, uma localidade do município de Chaves, na ilha do Marajó, com destino a Belém. De acordo com a Capitania dos Portos, 12 corpos foram encontrados.

O naufrágio ocorreu no Rio Arari, nas proximidades do  município de Cachoeira do Arari. O Corpo de Bombeiros informou que 41 pessoas foram resgatadas até o início da manhã, sendo que nove estão internadas em um hospital no município de Cachoeira.

Dois navios da Marinha mais uma lancha auxiliar foram enviados para a localidade para fazer as buscas aos sobreviventes. As viagens do arquipélago para a capital são longas, duram em média 12 horas e acontecem geralmente a noite, muitas pessoas dormem durante a viagem.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros também está se deslocando para o Marajó para fazer a remoção dos corpos e auxiliar na buscas. O número de desaparecidos ainda não foi confirmado, já que os trabalhos de busca ainda estão em andamento. Um inquérito será instaurado para apurar as causas do naufrágio, que ainda são desconhecidas. A previsão de conclusão é de 90 dias.

Comandante de embarcação admite superlotação

O comandante do barco “Iate Leão do Norte”, que apesar de ser chamado de “Iate” é um barco de passageiros. O comandante admitiu que transportava passageiros além da capacidade máxima da embarcação. Segundo a Capitania dos Portos, o barco transportava cerca de 60 passageiros, mas de acordo com o comandante Luís Inácio Lima, havia 49 pessoas no barco, que teria vagas para apenas 25. “Eu não vou mentir para ninguém, não. Viajo com a minha esposa, minha filha, meu filho”, confirmou, ainda bastante abalado.

O comandante do barco afirmou que ainda não sabe o que pode ter causado o naufrágio. “Eu mesmo vinha pilotando, quando o barco virou. Eu não bati em lugar nenhum, não. Eu mesmo não consigo entender, foi tão rápido”, lembra.

Segundo Luís Inácio Lima, o “Iate Leão do Norte” estava rebocando um outro barco. “Eu trazia outro barco a reboque também, mas [o acidente] só aconteceu com o nosso. O outro barco não teve acidente nenhum”, afirma. Segundo a Capitania dos Portos, o barco rebocado pelo “Iate Leão do Norte” não ficou danificado, e está auxiliando nas buscas.

Mobilização municipal

Equipes do Corpo de Bombeiros e da Marinha do Brasil estão no local realizando buscas aos desaparecidos. A Prefeitura de Cachoeira do Arari decretou ponto facultativo para que os funcionários pudessem auxiliar os sobreviventes da tragédia.”Estamos acompanhando de perto as buscas, junto com o Corpo de Bombeiros. No momento do naufrágio foram encontrados três corpos e agora, na varredura que os bombeiros fazem na embarcação, já tiraram mais dois. Encontraram adultos e crianças”, afirma o prefeito Benedito Vasconcelos.

O gestor municipal acredita que ainda há corpos na embarcação. “Com certeza ainda estão dentro do barco. A viagem acontece geralmente à noite, as pessoas estavam dormindo”, conta Benedito.

Os moradores da cidade estão abalados com o incidente. “É uma grande tragédia, onde toda a população de Cachoeiira está envolvida em questão de solidariedade. São seres humanos, pessoas que sempre viajam na época do inverno no rio Arari e sempre paravam em Cachoeira”, diz o prefeito.

Pelo menos 46 pessoas resgatadas foram encaminhadas para a Casa Municipal, que abriga os sobreviventes e oferece atendimento. Oito pessoas estão internadas no hospital municipal. Uma criança de nove anos, que está em estado grave por ter aspirado água, foi resgatada pelo helicóptero do Corpo de Bombeiros e trazida até a capital.

Equipes do Corpo de Bombeiros e da Marinha do Brasil realizam buscas aos desaparecidos no rio Arari. A prefeitura do município mobilizou seus funcionários para que possam ajudar os sobreviventes.

Em nota, a Marinha afirma que tomou conhecimento do naufrágio por volta das 01h20 e determinou que imediatamente os Navios-Patrulha “Parati” e “Pampeiro” fossem direcionados para a área do incidente, com apoio de duas lanchas e mergulhadores, para auxiliar nas buscas.

[divide style=”2″]

Para acompanhar mais notícias de Tailândia e Região, Curta o Portal Tailândia no Facebook: facebook.com/portaltailandia.com.brSiga também o Portal Tailândia no Twitter e por RSS.

Com informações G1 PA

Comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *