Fenômeno será diferente do eclipse lunar completo do final de janeiro Imagem: Gaston De Cardenas / AFP

Duas semanas depois do único eclipse solar de 2019, os brasileiros terão a chance de acompanhar um eclipse lunar parcial. Nesta terça-feira (16), será possível assistir ao fenômeno de qualquer canto do Brasil. Eventos como estes acontecendo em curtos intervalos de tempo são raros.

Diferente do eclipse solar, o eclipse lunar não precisa de equipamentos sofisticados para ser observado, podendo ser admirado até a olho nu. A extensão deste eclipse será tão grande que os únicos lugares que não conseguirão ver o fenômeno são a América do Norte e a Sibéria.

No eclipse parcial, como o dessa terça-feira, o alinhamento entre o Sol, a Terra e a Lua não é perfeito, o que significa que apenas uma parte da Lua acaba coberta. No caso de um eclipse total a Lua fica completamente escondida graças ao alinhamento perfeito entre as três partes.

O eclipse começará cedo e estará visível assim que a Lua ‘nascer', por volta das 17h30 (de Brasília). O ápice do fenômeno será às 18h30 e o final por volta das 20h.

Em algumas cidades do Brasil, grupos estão organizando encontros onde serão disponibilizados telescópios e binóculos para que a população consiga acompanhar o fenômeno.

Em Boa Vista (RR), o Clube de Astronomia e Ciência de Roraima marcou o encontro na Orla Taumanan, as margens do Rio Branco. Em Olinda (PE), o Observatório da Sé ficará aberto até 21h30 para acompanhar o fenômeno. Em Manaíra (PB), a Associação Paraibana de Astronomia fez parceria com um shopping local, Mag Shopping, para disponibilizar os telescópios ao público.

Em janeiro, o Brasil pôde observar um eclipse lunar total, mas o próximo deste tipo, com boa visualização do Brasil, acontecerá somente no final de 2021. Por isso, ainda que o desta terça-feira seja apenas parcial, não perca a oportunidade de acompanhar o fenômeno.

Fonte: UOL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *