Apesar da queda, alinhada com avaliações de popularidade recentes, Dilma teve melhor resultado que outros possíveis candidatos de eleições presidenciais de 2014.

pesquisa_dilma_queda

A pesquisa, realizada pelo Ibope, mostra que Dilma receberia 30% dos votos se as eleições acontecessem, hoje,
enquanto na pesquisa anterior, feita em março, contaria com o voto de 58% dos entrevistados

A presidente Dilma Rousseff perdeu 28 pontos de intenções de voto, segundo uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, por causa dos protestos sociais que tomaram as cidades do país na segunda quinzena de junho.

A pesquisa, realizada pelo Ibope, mostra que Dilma receberia 30% dos votos se as eleições acontecessem, hoje, enquanto na pesquisa anterior, feita em março, contaria com o voto de 58% dos entrevistados.

Apesar da grande queda, que está alinhada com avaliações de popularidade publicadas recentemente, Dilma teve melhores resultados que outros possíveis candidatos às eleições presidenciais de 2014, como Marina Silva (22%), Aécio Neves (13%) e Eduardo Campos (5%) .

grafico-ibope-pesquisa-presidente

Quando os pesquisadores não sugeriram possíveis candidatos para a eleição, Dilma foi a preferida para 16% dos consultados, enquanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apareceu como segunda opção, com 12% das respostas espontâneas.

Além disso, quando não foram oferecidas opções de candidatos, 40% dos eleitores questionados não souberam dizer em quem votariam se as eleições fossem hoje.

A pesquisa, que tem margem de erro de dois pontos percentuais, foi realizada entre os dias 11 e 14 de julho, com perguntas a 2002 pessoas de 16 anos ou mais em 140 municípios de todas as regiões do país.

Duas outras pesquisas divulgadas nas últimas semanas mostraram que a aprovação da presidente caiu entre 24% e 27%.

E você o que acha? Na sua opinião, Dilma se reelege?

[divide style=”2″]

Para acompanhar mais notícias de Tailândia, Curta o Portal Tailândia no Facebook: facebook.com/portaltailandia.com.brSiga também o Portal Tailândia no Twitter e por RSS.

Via: Exame

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.