Crédito: Reprodução/Freepik

Desde a tarde da última quarta-feira, 2, pelo menos 20 pessoas morreram e 74 foram hospitalizadas no subúrbio de Buenos Aires, na Argentina, após uma intoxicação grave causada por cocaína adulterada. No início da noite, o ministro da Segurança de Buenos Aires, Sergio Berni fez um comunicado oficial alertando que “Aqueles que compraram drogas nas últimas 24 horas devem jogá-las fora”. As autoridades locais ainda tentam localizar a substância tóxica para retirá-la de circulação.

De acordo com o ministro, foram realizadas operações policiais no subúrbio de Loma Hermosa, localizada no noroeste da capital, e cerca de 12 pessoas foram detidas. No local também foram apreendidos sacos de cocaína, que estão sendo analisados em um laboratório localizado em La Plata.

Até o momento, três hospitais da cidade registram diversas mortes e hospitalizações por intoxicação e os hospitalizados disseram aos médicos que tinham usado cocaína juntos. A maior parte das vítimas são homens na faixa de 30 a 40 anos, que teriam sofrido violentas convulsões e súbitos ataques cardíacos, de acordo com relatórios médicos citados citados pelo governo local. “Há um componente importante que ataca o sistema nervoso central”, disse Berni.

Temendo que o número de mortos possa aumentar, pela descoberta de vítimas que não tinham tempo ou meios para chegar a um centro de saúde. “Há mortes na via pública ou em casas, cujo número não foi possível determinar”, os órgãos de saude recomendam a ida imediata ao hospital na presença de sintomas.

Já o ministro da Segurança de Buenos Aires explica que “Quando dizemos cocaína má, não estamos falando de produto podre ou com prazo de validade vencido” e alega que “Cada traficante corta a cocaína que compra. Alguns fazem isso com substâncias não tóxicas, como amido. Outros põem alucinógenos e se não houver controle, este tipo de coisa acontece”, acrescentou.

Por: Agência Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.