Reprodução/ O Liberal

Na última terça-feira (2), a veterinária Pryscila Andrade, 31 anos, faleceu em decorrência da síndrome de Haff, também conhecida como doença da “urina preta”. Os estudos científicos publicados até o momento sobre a doença no Brasil relatam que os casos aconteceram após a ingestão de seis tipos de pescado. Conheça as espécies:Também chamado de pacu vermelho, é um peixe de água doce e de escamas com corpo romboidal, nadadeira adiposa curta com raios na extremidadeTambaqui: Também chamado de pacu vermelho, é um peixe de água doce e de escamas com corpo romboidal, nadadeira adiposa curta com raios na extremidade (Divulgação)Tais peixes chegam a medir até 2 m de comprimento. Também são conhecidos pelos nomes populares de arabaiana, olhete, pitangola, tapiranga, tapirçá e urubaiana, e são muito visados pela pesca esportivaPeixe Olho de boi: Tal peixe chega a medir até 2 m de comprimento. Também são conhecidos pelos nomes populares de arabaiana, olhete, pitangola, tapiranga, tapirçá e urubaiana, e são muito visados pela pesca esportiva (Divulgação)O Peixe Badejo é um animal que habita somente a água salgada, além de ser muito ativoPeixe Badejo é um animal que habita somente a água salgada, além de ser muito ativo (Divulgação)A Pirapitinga pertence à família Characidae, nativa da Bacia Amazônica e também presente nas águas do Araguaia-TocantinsPirapitinga pertence à família Characidae, nativa da Bacia Amazônica e também presente nas águas do Araguaia-Tocantins (Divulgação)O Pacu-manteiga é conhecido popularmente por inúmeros nomes comuns como Pacu Branco, Pacu Chico, Pacu Comum, Pacu mafurá, Pacu manteiga, Pacu mirim, Pacu peva e Pacu prataPacu-manteiga é conhecido popularmente por inúmeros nomes comuns como Pacu Branco, Pacu Chico, Pacu Comum, Pacu mafurá, Pacu manteiga, Pacu mirim, Pacu peva e Pacu prata (Divulgação)A Arabaiana é encontrada junto a ilhas oceânicas e muito raramente nas proximidades da costa. Pode formar cardumes, mas em geral os indivíduos são solitários.Arabaiana é encontrada junto a ilhas oceânicas e muito raramente nas proximidades da costa. Pode formar cardumes, mas em geral os indivíduos são solitários. (Divulgação)

Nem todo peixe das espécies citadas é responsável pela infecção, que é considerada rara.

CAUSAS

A doença é causada por uma toxina que pode ser encontrada em determinados peixes e crustáceos. A substância gera danos no sistema muscular e em órgãos como rins. O peixe contaminado, mesmo cozido, pode desencadear a síndrome, e não apresenta gosto diferente do habitual. 

SINTOMAS

O principal sinal é o escurecimento da urina, que pode chegar a ficar da cor de café. Outros sintomas da condição são dor e rigidez muscular, dormência, perda de força e falta de ar. A doença deve ser tratada rapidamente, pois pode levar à insuficiência renal, falência múltipla de órgãos e até ao óbito.

Por: D24am Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *