Crédito: Reprodução/Redes Sociais

Mary Hellen Coelho Silva, a brasileira presa na Tailândia por tráfico internacional de drogas, não vai receber pena de morte, como pensava. Segundo Kaelly Cavoli Moreira, uma das advogadas de defesa, a jovem foi condenada a nove anos e seis meses de prisão.

Na última quarta-feira, 11, a sentença foi anunciada na Tailândia, porém chegou ao conhecimento dos advogados na madrugada desta quinta-feira, 12. O consulado brasileiro enviou um e-mail com as informações, que ainda são preliminares.

“A brasileira teria sido assistida por defensor público nomeado pela própria Corte. O setor consular está tentando, desde ontem, obter cópias dos documentos da sentença da brasileira”, informou a advogada.

Dos anos de pena de Mary Hellen, dois anos são por crime civil e sete anos e seis meses por crime penal. Os advogados brasileiros se surpreenderam com a pena, considerada positiva. Eles vão tentar a extradição da jovem, para cumprir a pena no Brasil.

A advogada disse ainda que estavam contando com 50 anos de prisão e já tinham descartado a pena de morte e prisão perpétua. 

E-mail do consulado na íntegra:

A embaixada foi avisada ontem, 11/5, por telefone, sobre a audiência de Mary Hellen Coelho Silva perante a Corte de Samut Prakan, realizada no dia 8/5. O funcionário que informou a embaixada afirmou que a audiência foi agendada com um dia de antecedência, razão pela qual não teria sido possível alertar as partes interessadas antecipadamente.

De acordo com o funcionário da Corte, Mary Hellen foi condenada a 9 anos e 6 meses de prisão (divididos em: 2 anos, por crime civil; e 7 anos e 6 meses, por crime penal). A brasileira teria sido assistida por defensor público nomeado pela própria Corte. O setor consular está tentando, desde ontem, obter cópias dos documentos da sentença da brasileira.

Por: Pleno News

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.