(Foto: divulgação)
(Foto: divulgação)
(Foto: divulgação)

O cansaço frequente está diretamente relacionado à insuficiência cardíaca, doença crônica que, segundo a Associação Brasileira de Arritmia, Eletrofisiologia e Estimulação Cardíaca Artificial (Abec), faz 100 mil vítimas a cada ano no País. Para entender melhor o que é a doença, é preciso conhecer muito bem o próprio coração. Composto essencialmente por músculos, ao se contrair ele funciona como uma bomba que leva ao organismo o sangue com nutrientes para o funcionamento adequado dos nossos órgãos. Quando o músculo cardíaco não consegue bombear o sangue para o corpo ou o faz com dificuldade, acaba comprometendo outros órgãos, como pulmões. Daí a falta de ar, comum nos casos de insuficiência cardíaca.

A doença pode levar à morte, mas também pode ser evitada. “Nos adultos, a prevenção e o tratamento precoce de doenças que levam à insuficiência cardíaca, como por exemplo, a hipertensão arterial e o infarto agudo do miocárdio, podem causar grande impacto na redução da mortalidade associada à insuficiência cardíaca”, explica o cardiologista Kleber Ponzi. A mesma precaução se aplica às crianças. Detectar o mal cedo, inclusive ainda na gestação, pode salvar muitas crianças.

Em todos os casos, é fundamental adotar e manter hábitos de vida saudáveis, além do controle periódico da pressão arterial e idas ao médico pelo menos uma vez ao ano. “Isso tudo pode evitar o desenvolvimento ou agravamento das doenças cardíacas que levam à síndrome de insuficiência cardíaca e suas consequências”, reforça o cardiologista.

O tratamento da insuficiência cardíaca, inclui, além de hábitos de vida saudáveis, o uso regular de medicação na maioria dos casos. Em algumas situações, a cirurgia cardíaca convencional ou por cateterismo pode restabelecer a função normal ou quase normal do coração. Isso devolve ao paciente uma longevidade e qualidade de vida similares à da população sem a doença.

MAL DE CHAGAS

No Pará, uma causa de insuficiência cardíaca, antes restrita a outras regiões do País, tem chamado a atenção. É o Mal de Chagas, cujas fezes do Barbeiro são o vetor do Trypanosoma cruzi, casuador da enfermidade. O risco está em alimentos mal higienizados, como o nosso açaí.

 

 

(Wal Sarges/Diário do Pará)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *