Crédito: Peter Ilicciev/Fiocruz

Na tarde desta quinta-feira, 20 o Instituto Evandro Chagas (IEC), ligado a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS) confirmou mais 5 casos da variante indiana entre tripulantes do navio MV SHANDONG DA ZHI, que está ancorado no estado do Maranhão. Somados ao caso confirmado nesta manhã, já são 6 casos da variante indiana no Brasil.

O Instituto Evandro Chagas disse em nota que “Vale ressaltar que são os primeiros casos desta variante (da Índia) no Brasil, contudo tratam-se de casos importados e as medidas de contenção estão sendo executadas pelos órgãos competentes”. O objetivo da nota é esclarecer que os pacientes da covid-19 não foram infectados em solo brasileiro e que, até onde se sabe, não há circulação comunitária da variante.

Para confirmar que os tripulantes da embarcação estavam infectados com a variante da Índia, foi feito o sequenciamento genômico de cada suspeito presente na embarcação. Esta investigação individual foi realizada pelo Laboratório de Vírus Respiratórios da Seção de Virologia do IEC.

Nas últimas semanas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) comunicou diversas vezes que a vaciante indiana é uma variante de preocupação, pois esta linhagem já possuí três sub-linhagens (B.1.617.1, B.1.617.2 e B.1.617.3). No Brasil, as seis amostras confirmadas são da sub-linhagem B.1.617.2, que é tratada com mais eficácia atualmente e já foi diagnosticada em diversos países ao redor do mundo.

Segundo nota da Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Maranhão “Toda tripulação do navio permanece em quarentena e isolada em cabines individuais”. A exceção ocorre apenas para os casos que precisam de acompanhamento, o que ocorre em “hospital da rede privada” destaca.

Por: Instituto Evandro Chagas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *