No geral, foi o sétimo Estado do País a receber o maior montante de repasses federais no ano para o Bolsa Família.

Foto reprodução: O Liberal
Foto reprodução: O Liberal
O governo federal repassou R$ 12.987.496,66 neste ano para apoiar a gestão do Programa Bolsa Família em 136 municípios do Pará. Os recursos transferidos pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) correspondem ao pagamento do Índice de Gestão Descentralizada (IGD), indicador que mede a qualidade da gestão do Bolsa Família e serve de base para o cálculo do valor a ser repassado a título de incentivo.
No geral, foi o sétimo Estado do País a receber o maior montante de repasses federais no ano para o Bolsa Família. Só tiveram mais recursos transferidos os municípios dos Estados da Bahia (R$ 29,6 milhões), São Paulo (R$ 27,1 milhões), Minas Gerais (R$ 24,5 milhões), Ceará (R$ 20,9 milhões), Pernambuco (R$ 18,2 milhões) e Maranhão (R$ 13,4 milhões). Em todo o País, 5.349 municípios foram contemplados com recursos que somam R$ 250,6 milhões.
As prefeituras têm autonomia para escolher as ações em que os recursos são aplicados, desde que diretamente relacionadas a gestão de condicionalidades, gestão de benefícios, acompanhamento das famílias beneficiárias, inserção e atualização dos dados do Cadastro Único, implantação de programas complementares, fiscalização ou controle social do Bolsa Família. Em geral, são usados para a aquisição de material de consumo, computadores, equipamentos permanentes e veículos, além da melhoria do espaço físico de atendimento aos beneficiários.
O IGD avalia a gestão do Programa Bolsa Família a partir de quatro informações: atualização cadastral; acompanhamento da condicionalidade de educação; acompanhamento da condicionalidade de saúde; e prestação de contas. O índice varia entre 0 e 1. Quanto mais próximo de 1, melhor a avaliação e maior o volume de recursos que a gestão recebe do governo federal.
 Se um município tiver pontuação geral abaixo de 0,55, ou menor do que 0,20 em cada um dos quatro indicadores, fica sem os recursos do IGD-M. Para receber os valores, também são exigidas assinatura do Termo de Adesão ao Bolsa Família, habilitação ao Sistema Único de Assistência Social (Suas) e aprovação das contas pelos conselhos municipais de assistência social.
 O MDS também divulgou os repasses transferidos aos governos dos estados no primeiro semestre: R$ 9,6 milhões. Desse total, a fatia do governo paraenses foi de R$ 616,4 mil – quarta maior quantia, atrás das transferências da Bahia (R$ 784,7 mil), Minas Gerais (R$ 783,3 mil) e São Paulo (R$ 744,5 mil). Para ter direito, o índice deve ser maior ou igual a 0,6. Também são exigidas a assinatura do Termo de Adesão ao Bolsa Família, a habilitação ao Suas, a formalização de uma comissão intersetorial de gestão do programa e a aprovação das contas pelos conselhos de assistência social.
[divide style=”2″]
Por, Thiago Vilarins, da Sucursal Brasília
Para acompanhar mais notícias de Tailândia, Curta o Portal Tailândia no Facebook facebook.com/portaltailandia.com.br. Siga também o Portal Tailândia no Twitter e por RSS.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.