O Ideflor apresenta Sistema de Rastreamento e Monitoramento Remoto do Transporte de Produtos Florestais e Cadeia de Custódia.

ideflor_pa

As diretrizes técnicas para o Sistema de Rastreamento e Monitoramento Remoto do Transporte de Produtos Florestais e Cadeia de Custódia, desenvolvidos pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (Ideflor), foram apresentadas na manhã desta terça-feira, 29, na sede do Ideflor, aos concessionários do conjunto de Glebas Mamuru-Arapiuns e da Flora Paru. O sistema de rastreamento e monitoramento remoto do transporte de produtos florestais permite identificar e localizar esses veículos de transporte dentro e fora das Concessões Florestais.

Segundo Elinelson Souza, engenheiro de Produção da Diretoria de Gestão de Florestas Públicas do Ideflor, as diretrizes foram estabelecidas por meio de discussões e pesquisas, visando sempre à conformidade com a cláusula 25, do contrato de concessão florestal, que trata sobre os sistemas de rastreamento, monitoramento e cadeia de custódia, mostrando a obrigatoriedade de rastrear os veículos que transportam os produtos florestais provenientes das áreas de concessão e determinar a origem das toras extraídas. “Após pesquisas bibliográficas sobre o assunto e discussões com a equipe da DGFLOP, foram estabelecidas as diretrizes tomando como base as necessidades que o Ideflor tem para fazer o monitoramento florestal e cumprir a cláusula 25 do contrato de concessão florestal”, conta.

Por meio do sistema de cadeia de custódia, que permite a identificação individual e origem de cada tora produzida no plano de manejo florestal sustentável (PMFS), desde a derrubada de árvores, seccionamento e transporte das toras até a sua transformação na primeira unidade processadora, controlados por meio de um sistema informatizado e pelo software que está sendo desenvolvido pelo setor de informática do instituto, será possível fazer o monitoramento e controle da cadeia de custódia dos concessionários.

Na reunião foram discutidos, ainda, os prazos para o cumprimento da cláusula contratual e a implementação dos Sistemas de Rastreamento e Monitoramento Remoto do Transporte de Produtos Florestais e Cadeia de Custódia que devem ser realizados no início do próximo Plano de Operação Anual (POA).

 

Agência Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *