Nos sete primeiros meses de 2012 a alta já chega a quase 7%.
Em julho, pelo quinto mês consecutivo, os valores sofreram reajuste.


Arroz, feijão, macarrão, leite, entre outros produtos que compõe a cesta básica do paraense sofreram um reajuste de preço no mês de julho de 2012. No mês passado, a cesta básica custou R$ 259,89 , com alta que representa de 2,74% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a cesta custava R$ 252,97. Este é o quinto mês consecutivo de alta no preço da cesta básica paraense.

Segundo o Dieese/PA, no mês de Julho/2012, o maior destaque em termos de aumento nos produtos da cesta do paraense ocorreu com o tomate, que sofreu reajuste de 23,81%; seguido da banana, com alta de 1,62%. Mas, no mês de julho vários produtos da cesta básica apresentaram queda de preços, os mais significativos foram:

Açúcar, com queda de 3,17%;
Feijão, com queda de 2,89%;
Manteiga, com queda de 2,61%.

Ainda segundo o Dieese, no mês de julho de 2012, o custo da cesta básica para uma família padrão paraense, composta de dois adultos e duas crianças, foi de R$ 779,67. Este valor representa cerca de 1,2 salários mínimos. Para comprar os 12 itens básicos da cesta, o trabalhador paraense comprometeu cerca de 45% do salário mínimo atual de R$ 622,00 e teve que trabalhar cerca de 91h55 das 220 horas previstas em lei.

Feijoada promete reunir 1,5 mil pessoas na MUG (Foto: Divulgação/MUG)
Para fazer uma feijoada, paraense paga 70,90%  a
mais pelo feijão. (Foto: Divulgação/MUG)

Ao longo de 2012, a grande maioria dos produtos da cesta básica apresentaram aumento de preços, os mais expressivos foram:

Feijão, com alta de 70,90%,
Óleo de Cozinha, com alta de 17,16%;
Manteiga, com alta de 16,63%;
Tomate, com alta de 11,31%;
Farinha de Mandioca e Arroz, ambos com alta de preço acumulada de 10,27%.

A inflação estimada para o período está girando em torno de 3%. Também no mesmo período, alguns produtos da cesta apresentaram recuo de preços, os mais expressivos foram: açúcar, com queda de 6,46% e a carne bovina, com queda de 5,36%.

O balanço efetuado pelo Dieese mostra um reajuste acumulado no preço da cesta básica de 11,47%. No período analisado, de janeiro a julho, a grande maioria dos produtos que compõem a cesta básica dos paraenses apresentaram altas de preços, sendo que os mais expressivos foram:

Feijão, com alta de 124,07%;
Café, com alta de 23,94%;
Manteiga, com alta de 22,98%;
Farinha de Mandioca, com alta de 21,51%;
Óleo de Cozinha, com alta de 16,01%;
Arroz, com alta de 15%.

A inflação estimada para o mesmo período gira em torno de 5,40%. Segundo o Dieese, para suprir as necessidades básicas do trabalhador, como alimentação, educação, saúde e moradia, por exemplo, o valor do salário mínimo deveria ser de R$ 2.519,97, valor cerca de 4 vezes maior que o salário mínimo oficial.

 

g1 pará

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.