A Polícia Civil do Estado do Pará, por meio do Núcleo de Apoio à Investigação de Marabá, deflagrou na última sexta-feira (06), a Operação Sangria. A ação foi fruto de investigação que durou cinco meses sobre furtos a veículos de locadoras, praticados por associação criminosa.

Eles atuavam em diversas regiões do País, onde os veículos eram transferidos de forma fraudulenta e criminosa, tanto para terceiros, quanto aos próprios membros do bando.

Foram expedidos e cumpridos sete Mandados de Prisão Preventiva e 10 Mandados de Busca e Apreensão pelo Juízo da Comarca de Curionópolis. A polícia prendeu: Carlos Lázaro Paiva Júnior, Rub Leal Nunes Lima, Elenilson Oliveira Gabriel, André Cícero Fernandes Arcanjo, Luizmar Evaristo de Sá, Jhonathan Paiva Oliveira – também conhecido como Tiago Muller, cantor conhecido na região –  e Fábio da Conceição Silva.

Os crimes contavam com a participação de um ex-gerente e vistoriador do Detran, na cidade de Curionópolis. O esquema contava também com um despachante em Marabá, um acusado de possuir uma vasta ficha criminal.

Eles foram autuados pelos crimes de corrupção ativa e passiva, inserção de dados falsos em sistema, falsidade ideológica, estelionato, associação criminosa, furto qualificado pela fraude e outros ainda em apuração.

Jhonathan Paiva foi preso em Tailândia, a 230 quilômetros de Belém. Com ele os policiais encontraram uma arma de fogo, calibre 38, com cinco munições intactas. O acusado tinha três mandados de prisão expedidos contra ele, e vai responder por porte ilegal de arma de fogo.

A quadrilha aliciava alguém para alugar um carro numa locadora de veículos e entregar a eles, transferiam a propriedade no sistema do Detran sem sequer fazer a vistoria ou gerar processo. Anunciavam a venda do carro no OLX ou pessoalmente e, finalmente, transferiam novamente para o novo comprador final, que podia ser de boa-fé ou má-fé.

No total, mais de 30 veículos foram alvos desse esquema criminoso, ocasionando um prejuízo milionário às vítimas, tanto locadoras quanto compradores de boa-fé, segundo a polícia.

A Operação Sangria contou com a participação de policiais do Núcleo de Apoio à Investigação de Tucuruí, Deca de Marabá e das Superintendências do Sudeste do Pará, Alto Xingu e Lago de Tucuruí, somando mais de 50 policiais civis e 15 viaturas. Os presos encontram-se agora à disposição da Justiça. 

(Fonte: Polícia Civil. Imagens: PCPA)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *