7 bizarrices que mostram que você acredita em superstições na Sexta-Feira 13

Sexta-feira 13: o que poderia ser um dia comum, virou, através do tempo e da cultura, sinônimo de “a bruxa está solta”.

São muitas as teorias sobre o azar que paira sobre a data, dadas pela numerologia e pelas culturas cristã e nórdica. Seja qual for a explicação, muita gente toma cuidado para não sofrer golpes de azar na data. Confira
agora algumas superstições curiosas sobre a sexta-feira 13.

Dizer tchau em cima de uma ponte

Uma das superstições que rondam a sexta-feira 13 é de que, ao se despedir de uma pessoa em cima de qualquer ponte, você nunca mais a verá. O fato é que não há uma explicação muito lógica para esta superstição.

Gato preto traz aza

Quem vê um gato preto andando na rua, especialmente numa sexta-feira 13, pode se assustar. Os felinos são associados à falta de sorte. No entanto, os animais nada têm a ver com o azar: a “má fama” surgiu na Idade Média, quando o Papa Gregório IX associou os gatos pretos a rituais de “bruxaria”. Em tempo: os animais não devem ser maltratados sob nenhuma justificativo.

Refeições para 13 pessoas

Algumas pessoas até hoje acreditam que, caso uma refeição seja servida para 13 pessoas, a primeira que levantar da mesa morrerá. A ideia vem desde a época de Cristo: durante a Última Ceia, este mesmo número de pessoas estava sentado à mesa.

Derrubar sal é sinônimo de má sorte

Uma das teorias para esta superstição é de que na antiguidade, o sal era uma mercadoria valiosa e de difícil acesso, que servia para preservar alimentos. A ideia de que derrubá-lo traz má sorte teria sido inventada por comerciantes, que queriam evitar prejuízos.

Abrir o guarda-chuva dentro de casa

Abrir a sombrinha em casa dá azar? É esta a ideia que paira sobre nosso imaginário ainda hoje. No entanto, a superstição surgiu no século XIX, na Era Vitoriana, quando os guarda-chuvas eram pontiagudos e poderiam ferir as pessoas dentro das residências.

Pé direito dá sorte

Outra superstição famosa é de que não é indicado descer da cama ou entrar em locais com o pé esquerdo. Esta, segundo historiadores, é uma herança romana, e evitaria que algo de ruim acontecesse na casa.

Espelho quebrado: sete anos de azar

Você provavelmente já se deparou, sem querer, com um espelho rachado, ou deixou um destes objetos cair no chão e ficou preocupado. A “maldição” é uma herança romana: na época, acredita-se que adivinhos enchiam um copo com água para ver o futuro, e, se ao olhar para o reflexo, ele quebrasse, era mal presságio na certa. Naquela cultura, a pessoa só estaria livre da maldição em sete anos.

Com informações o Imparcial

Você pode gostar de ver

Amet Consequat Sapien Aliquam Aenean Rhoncus Pellentesque Nunc

Aenean eleifend ante maecenas pulvinar montes lorem et pede dis dolor pretium…

Sema coordenará plano de prevenção ao desmatamento em Tailândia

Ao todo serão 15 municípios contemplados no Pará pelos Planos Municipais de…

Inscrições para concurso da prefeitura de Tailândia iniciam amanhã

Inscrições dia 25/08. São ofertadas 205 vagas e os salários chegam até R$ 8.700,00.