O texto abaixo representa a opinião do autor, não necessariamente de todos os editores deste site

Igreja Visível

Neo-Evangélica

Uma das perguntas mais intrigantes da humanidade é se há vida extraterrestre. Cientistas e engenheiros trabalham intensamente nos países mais ricos do mundo para buscar essa resposta. Será que existe vida inteligente fora da terra? É “irrelevante” dizer que a exploração espacial gasta bilhões em missões que duram anos enquanto milhões de crianças mundialmente morrem por desnutrição. Até agora parece que o homem não aprendeu bem quais são as suas prioridades de conhecimento, o que importa, de fato, conhecer.

A humanidade mal engatinhou no que se refere ao conhecimento do próprio cérebro ou do fundo dos oceanos, e já envia para o espaço seus foguetes, tripulações e satélites para “desvendar” o universo. Incrível a nossa arrogância, ignorância e pretensões. Essa gotícula, que é o homem, essa partícula movida a pecado, tem feito tudo ao contrário desde que fora criado. Não há área que não esteja contaminada, todos os cômodos da existência humana estão infectados! Obviamente nem a igreja escapa. E é exatamente neste ponto que vale a pena (sempre!) refletir como andam as pernas da igreja visível neo-evangélica.

Sem Rodeio: Sinagoga de Armínio

O capítulo XXV da Confissão de Fé de Westminster ratifica a possibilidade da decadência da igreja, isso dito em outras palavras na seção V: “As igrejas mais puras debaixo do céu estão sujeitas à mistura e ao erro; algumas têm degenerado ao ponto de não serem mais igrejas de Cristo, mas sinagogas de Satanás; não obstante, haverá sempre sobre a terra uma igreja para adorar a Deus segundo a vontade dele mesmo.” Ref. I Cor. 1:2, e 13:12; Mat. 13:24-30, 47; Rom. 11.20-22; Apoc. 2:9; Mat. 16:18. – “Mistura”, “Erro”, “Degeneração”, “Sinagoga de Satanás”, são termos que definem bem o ARMINIOCÍDIO que está acontecendo com as igrejas cristãs!

Bom, como não é possível analisar dados mundiais em conjunto, o que seria um trabalho monstruoso e teoricamente mais disperso e impreciso, daremos uma olhada nas estatísticas brasileiras. A Igreja cresceu mais que o dobro que o ritmo da população durante mais de 20 anos – dos anos 70 aos anos 90 no século XX. – Segundo o IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, os evangélicos atingiram a marca de 26 milhões no ano 2000 ou 15,45% da população. Em 2010, eles passaram a ser 42,3 milhões, ou 22,2% dos brasileiros. Provavelmente hoje passa de 45 milhões, alguns dizem que bateu mais de 50 milhões em 2012. Temos motivos para louvar a Deus pelo crescimento insalubre da igreja evangélica brasileira em taxas maiores que o dobro da taxa de crescimento da população? Talvez sim, talvez não. Fazendo alusão ao artigo, aqui, cabe uma pergunta: “Adoradores ou Consumidores?”


“Negociando” Com Deus

A ExpoCristã, uma feira de negócios evangélica em São Paulo, recebe mais de 160 mil visitantes nos dias de evento, mais de 10 mil itens em exposição e uma movimentação de R$ 1 bilhão em negócios. A revista Istoé Dinheiro, em matéria do dia 30/10/2006, ressaltou que, “Há pelo menos dez anos tem se acentuado um processo que chama atenção com relação aos neoevangélicos: sua organização. Cada vez mais próximos das hierarquias dos organogramas das empresas, eles se interessam por aspectos administrativos e gerenciais.” Isto significa, sem eufemismos, que o universo evangélico brasileiro está mais que direcionado para o teo-bussines.

Tal reportagem não teve nenhum preconceito midiático característicos de certas emissoras de TVs, jornais e revistas semanais tupiniquins posicionadas pró-catolicismo e espiritismo. É notório o interesse meramente mercadológico da matéria, e por consequência a informação torna-se reveladora, desnudando o cenário neo-evangélico em foco. A feira de negócios gospel tem de tudo um pouco, desde softwares para gerenciar fiéis, doações e atividades da igreja, até púlpitos de acrílico néon (sem exagero!). Segundo o organizador da ExpoCristã, “ a tendência de crescimento do setor é grande, sobretudo pela inserção desse segmento no chamado mundo ‘secular’ (não católico). Hoje, dificilmente você vai ver uma grande rede de varejo sem um departamento gospel”, explica, afirmando que redes como Saraiva e Siciliano já estão abrindo espaços para esse tipo de produto [predominantemente arminiano e pentecostal diga-se de passagem].

Oportunidades de Negócios

O mercado gospel estima um crescimento da China! No consumo brasileiro evangélico, aproximadamente abre-se mais de 14 mil igrejas por ano! O mercado da moda gospel, – tá faltando pouco inventar uma Fashion Gospel! – vende de bijuterias a roupas. Eliane Daithsehman, responsável por um estande de vestuário e acessórios na ExpoCristã, explica que a idéia das roupas, jaquetas e bijuterias é a de “passar as mensagens através de coisas bacanas” e cita, como exemplo, uma sunga para surfistas com a inscrição “Escolhido por Deus”.

Os campeões de vendas são livros de evangelismo baseados em arminianismo, carismatismo e outros livre-arbitrismos! A Expo Cristã oferece vários auditórios pocket-shows, jam-sessions, sessões de autógrafos, palestras, treinamentos, congressos entre outros eventos diversos e divertidos.

A matéria da Istoé Dinheiro ainda enfatiza: “Um dos destaques da Expo Cristã 2006 foi a “Conferência para Pastores e líderes” com o tema “O Futuro do Pastor e do líder da igreja”, o evento contou com famosos palestrantes, entre eles o Dr. Augusto Cury, autor de campeões de vendas como “Nunca desista de Seus Sonhos” e “Seja líder de si mesmo”, e o Prof. Gretz, presbiteriano e conferencista em todo o Brasil, citado na Revista Exame como um dos dez palestrantes mais contratos pelas EMPRESAS brasileiras, seu livro ” Voando como a Águia”, foi adotado pelo técnico de futebol Luiz Felipe Scolari para motivar os jogadores da seleção de Portugal durante a Copa do Mundo 2006.”

Resumo da ópera: a indústria de produtos e serviços para cristãos movimenta por ano bilhões, num país onde mais de 40 milhões são evangélicos, com projeção de crescer para 50 milhões até 2020, parece que este quadro se apresenta como irreversível. É sempre bom lembrar o que diz a Confissão de Westminster, artigo supra-citado: “não obstante, haverá sempre sobre a terra uma igreja para adorar a Deus segundo a vontade Dele mesmo”. Mateus 16.18: Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

Continua..

Raniere Menezes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *