Ainda em atividade, ambos vivem situação diferente como técnicos do TUF. ‘Nessa faculdade, só aqueles que passaram nela podem ensinar', diz Vitor

Reprodução/globosporte

Juntos, Wanderlei Silva e Vitor Belfort têm ao todo 77 lutas no MMA. É experiência de sobra para os lutadores que estão participando do The Ultime Fighter Brasil. Tanto um quanto outro fizeram suas carreiras praticamente lutando apenas no exterior. Wanderlei foi campeão da categoria até 93kg do extinto Pride, evento japonês que foi o mais importante do mundo na década passada. Belfort já teve em suas mãos o cinturão meio-pesado do UFC, além de vencer um torneio de pesos-pesados com apenas 19 anos no evento.

Ambos se mostram bastante orgulhosos de poder participar do programa. Acham que podem contribuir bastante para o crescimento dos participantes como atletas.

– Vou passar minha minha experiência, minha vivência e mostrar para eles o caminho. Nessa faculdade, só aqueles que passaram nela podem ensinar – disse Vitor Belfort (21V-9D).

Wanderlei Silva (34V-11D-1E, 1NC) vai além. De origem humilde, o curitibano acredita que sua história de vida também pode contribuir com os lutadores.

– Como técnico, posso passar toda a experiência que eu acumulo em todos esses meus anos em arte marcial. Eu me identifiquei muito com os caras aqui, pois muitos vieram de uma origem humilde como eu. Então, eu sei tudo o que vai acontecer. Tudo o que eles vão passar, eu já passei. Vou tentar explicar isso para eles e tentar fazer com que o caminho deles seja mais fácil que o meu.

Por enquanto, Vitor Belfort tem se mostrado mais eficaz durante o programa. Sua equipe venceu todas as cinco lutas disputadas até o momento. Será que vai manter o restrospecto? Confira no sétimo episódio do TUF Brasil, que vai ao no próximo domingo, logo após o Fantástico.

 

globo esporte

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.