[Foto: Assessoria do Paysandu]

E o Pará mais uma vez é bicolor. Pela 48ª vez na história, o Paysandu é campeão do Parazão. A vitória contra o Remo, neste domingo (6), pelo placar de 1 a 0, deu o título para o Papão da Curuzu. O Leão até que tentou reverter o placar, mas não foi o suficiente. O Paysandu tinha a vantagem no confronto por ter vencido a primeira partida das finais, por 2 a 1.

Remo e Paysandu são os dois maiores campeões estaduais do Pará. O Papão leva a melhor na história da competição e detém o recorde de conquistas: 48 títulos. O Leão vem logo atrás, com 46. Caso vencesse o Parazão 2020, o Remo empataria no número de conquistas com o Paysandu. A conquista de hoje foi selada com a vitória por 1 a 0 sobre o Remo, gol de Uchôa no último lance do jogo.

Remo na pressão

A etapa inicial já foi de fortes emoções. Como precisava marcar pelo menos dois gols, o Leão foi mais ativo no jogo. Teve mais posse, finalizou mais e melhor que o rival. Zé Carlos quase balançou as redes logo aos 9, porém a bola desviou em Micael e mudou de rota. Fredson também levou perigo aos 27, em cabeceio; e Tcharlles acertou a trave aos 36. Já o Papão, mais tranquilo pela vantagem no placar, ateve-se a apostar em finalizações de longa distância. Calberque, PH e Vinícius Leite arriscaram, porém sem grande risco à meta azulina. A primeira parte do Re-Pa ainda teve a expulsão de Fredson, aos 39, por duas faltas fortes e consecutivas em Nicolas – recebeu um cartão amarelo em cada.

Papão marca no fim

Com um a mais em campo, o Paysandu pôde administrar o resultado e evitar maior desgaste físico. Mas até tentou, nos primeiros minutos, antecipar a comemoração. Tony e Vinícius Leite, aos 5 e aos 8, quase marcaram, só que o goleiro Vinícius salvou nos dois lances. Nitidamente com uma postura mais reativa, os bicolores não aceleraram o jogo, mesmo quando surgiam oportunidades de contra-ataque. O Remo, sem muito espaço para jogar, insistiu em bolas aéreas e chutes de média distância de Charles. Não funcionou. O desgaste físico chegou aos azulinos depois dos 30 minutos e o Paysandu até cresceu timidamente, até Luiz Felipe ser expulso por acertar Lucas Siqueira com um carrinho imprudente, no meio do campo. O jogo se encaminhava para o empate – que já garantiria o título alviceleste – mas Vinícius Leite acertou passe preciso para Uchôa na entrada da área, que bateu de primeira e Vinícius, desta vez, não pegou: 1 a 0, apito final e comemoração bicolor.

Por Correio de Carajás

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *