Já classificado para a semifinal da Taça Rio, o Flamengo encara hoje (1º) o Boavista, às 21h30, no Maracanã. Mais do que uma vitória que lhe dará o primeiro lugar na classificação geral do Campeonato Carioca, o clube espera festejar seus feitos fora de campo.

Após batalha judicial com a Globo, o Rubro-Negro segue confiante de que a decisão em primeira instância da Justiça do Rio de Janeiro será mantida. Na última segunda (29), o juiz Ricardo Cyfer negou pedido de liminar da emissora, que deseja impedir a transmissão nas plataformas digitais do time carioca. A empresa recorreu, mas não há garantia que a matéria seja apreciada até a hora do jogo. Se houver uma decisão contrária, o Fla tentará cassar até o último minuto.

Caso não haja nenhuma movimentação judicial desfavorável até a bola rolar, o Flamengo entende que estará inaugurando uma nova era no futebol brasileiro. Com o jogo voltado exclusivamente para seus canais oficiais, o clube dá uma demonstração de força em tempos da Medida Provisória 984, que dá aos mandantes a prerrogativa de comercializar seus jogos. “A gente quer que o rubro-negro na Austrália, no Acre e nos Estados Unidos vejam o jogo, nossos esforços são via streaming. É como sair do ponto A pro ponto B.

Seria uma forma de homenagear a MP”, disse Luiz Eduardo Baptista, o Bap, vice de relações externas do Flamengo. A semana na Gávea foi das mais agitadas com o vaivém no tribunal.Amparado pelas decisões, o clube correu para colocar de pé o seu plano e também foi ao mercado para buscar patrocinadores interessados.

A ideia é que empresas que não sejam parceiras do Fla tenham suas marcas exibidas na partida. Como consequência de transmitir seu próprio conteúdo, o Rubro-Negro conta como certa a quebra do recorde de espectadores simultâneos em seu canal do YouTube. Até hoje, a marca foi de 988.478 mil torcedores que acompanharam ao mesmo tempo o jogo diante da Portuguesa, em março deste ano. Aquele evento, contudo, contou com exibição em outros canais. “O maior desafio na FlaTV é o de monetizar, transformar isso em grana.

Por: UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *