Bicampeão chega a ser ameaçado por finlandês da Lotus, mas vence e assume a liderança do Mundial. Felipe Massa marca seus primeiros pontos

O gesto de “nº 1”, marca registrada do bicampeão Sebastian Vettel, está de volta. Após início de temporada bem diferente do domínio apresentado em 2011, o alemão da RBR venceu o GP do Bahrein, quarta etapa do campeonato e subiu ao alto do pódio pela primeira vez em 2012. De quebra, assumiu a liderança do equilibrado Mundial de Fórmula 1, com 53 pontos, quatro a mais que Lewis Hamilton da McLaren, que havia desembarcado em Sakhir na ponta. O desempenho de Vettel lembrou a hegemonia apresentada por ele com sua RBR no ano passado. Soberano, o jovem piloto largou da pole position e liderou praticamente toda a prova, perdendo a ponta somente ao parar nos boxes.

Vettel chegou a ser pressionado por Kimi Raikkonen, da Lotus, que esboçou algumas tentativas de ultrapassagem, mas viu o alemão fechar a porta. Após fazerem pit stop juntos na 40ª volta, o piloto da RBR voltou a abrir vantagem e conseguiu administrar a diferença para receber a bandeirada, três segundos à frente do finlandês. Companheiro de Kimi na Lotus, o suíço naturalizado francês Romain Grosjean confirmou o salto de qualidade da equipe, fechando na terceira colocação. A escuderia não subia ao pódio desde o terceiro lugar de Nelson Piquet em 1988, na Austrália, e não emplacava dois pilotos entre os três primeiros desde 1979, com a dupla Carlos Reutemann (2º) e Mario Andretti (3º).

22/04/2012 10h47 – Atualizado em 22/04/2012 11h38

Vettel segura Raikkonen, vence no Bahrein e é líder; Massa fica em 9º

Bicampeão chega a ser ameaçado por finlandês da Lotus, mas vence e assume a liderança do Mundial. Felipe Massa marca seus primeiros pontos

Por GLOBOESPORTE.COM Sakhir, Bahrein

25 comentários

O gesto de “nº 1”, marca registrada do bicampeão Sebastian Vettel, está de volta. Após início de temporada bem diferente do domínio apresentado em 2011, o alemão da RBR venceu o GP do Bahrein, quarta etapa do campeonato e subiu ao alto do pódio pela primeira vez em 2012. De quebra, assumiu a liderança do equilibrado Mundial de Fórmula 1, com 53 pontos, quatro a mais que Lewis Hamilton da McLaren, que havia desembarcado em Sakhir na ponta. O desempenho de Vettel lembrou a hegemonia apresentada por ele com sua RBR no ano passado. Soberano, o jovem piloto largou da pole position e liderou praticamente toda a prova, perdendo a ponta somente ao parar nos boxes.

Vettel chegou a ser pressionado por Kimi Raikkonen, da Lotus, que esboçou algumas tentativas de ultrapassagem, mas viu o alemão fechar a porta. Após fazerem pit stop juntos na 40ª volta, o piloto da RBR voltou a abrir vantagem e conseguiu administrar a diferença para receber a bandeirada, três segundos à frente do finlandês. Companheiro de Kimi na Lotus, o suíço naturalizado francês Romain Grosjean confirmou o salto de qualidade da equipe, fechando na terceira colocação. A escuderia não subia ao pódio desde o terceiro lugar de Nelson Piquet em 1988, na Austrália, e não emplacava dois pilotos entre os três primeiros desde 1979, com a dupla Carlos Reutemann (2º) e Mario Andretti (3º).

Felipe Massa finalmente teve motivos para sorrir. Depois de passar em branco nas três primeiras corridas do ano, o brasileiro completou a prova na nona colocação, duas atrás do companheiro Fernando Alonso, e marcou seus primeiros dois pontos na temporada. Em 14º no grid, Massa fez uma excelente largada, ganhando cinco posições. Na sequência, o piloto da Ferrari conseguiu manter um bom ritmo e fechou em nono. Bruno Senna também largou bem, mas não teve a mesma sorte do compatriota. Diferentemente das últimas duas corridas, quando pontuou, o piloto não conseguiu um bom rendimento com a Williams, ficou longe dos dez primeiros por toda a corrida e abandonou a prova após parar nos boxes na penúltima volta.

Vettel GP de Bahrein (Foto: Reuters)

Em quatro provas, quatro vencedores de equipes diferentes

A vitória de Vettel com a RBR demonstra o equilíbrio da Fórmula 1 na temporada 2012. Foram quatro vencedores de equipes diferentes em quatro corridas. Button foi o primeiro na Austrália com a McLaren, Alonso venceu com a Ferrari na Malásia, e Nico Rosberg faturou a prova da China com a Mercedes. A última vez que isso aconteceu foi em 1983, quando Nelson Piquet (Brabham), John Watson (McLaren), Alain Prost (Renault) e Patrick Tambay (Ferrari) subiram ao alto do pódio nas primeiras provas daquele ano.

 

Massa e Bruno fazem bela largada

Enquanto na frente, Vettel, Hamilton e Webber mantiveram as três primeiras colocações, a largada do GP do Bahrein movimentou o restante do grid. Os brasileiros largaram muito bem e ganharam cinco posições cada um. Massa pulou da 14ª para a nona posição, e Bruno saiu do 15º para o 10º lugar. Alonso também começou bem, subindo para a quinta colocação. Já Button, terceiro no grid, caiu três posições, mesma quantidade perdida por Rosberg, que havia partido em quinto. Outro que teve bom início foi Grosjean. Após largar em sétimo, o francês subiu para o quarto lugar e, nas voltas seguintes, ultrapassou Webber e Hamilton.

Vettel logo abriu vantagem na liderança, em um ritmo que fez lembrar a hegemonia apresentada com sua RBR na última temporada. Na sequência, houve um duelo particular entre os pilotos da Lotus pelo segundo lugar. O finlandês Raikkonen foi escalando o grid até alcançar e ultrapassar o companheiro Grosjean, na 24ª volta. Já os pilotos da McLaren tiveram um domingo complicado. Sem conseguir imprimir um ritmo para brigar pela ponta, Button ainda teve um pneu furado a três voltas do fim, terminando apenas na 18ª posição. Já Hamilton teve problemas em dois pits stops e foi apenas o oitavo.

Kimi ameaça, mas Vettel segura vitória

Com um bom ritmo, Raikkonen se aproximou do alemão nas voltas finais e ameaçou a vitória de Vettel. O finlandês chegou a esboçar algumas tentativas de ultrapassagem durante a prova. Entretanto, após entrarem juntos nos boxes na volta 40, o piloto da RBR conseguiu abrir vantagem e seguiu firme para vencer a corrida.


Confira o resultado final do GP do Bahrein:

1 – Sebastian Vettel (ALE/RBR) – 1h35m10s990
2 – Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) – a 3s300
3 – Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) – a 10s100
4 – Mark Webber (AUS/RBR-Renault) – a 38s700
5 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – a 55s400
6 – Paul Di Resta (ESC/Force India-Mercedes) – a 57s500
7 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a 57s800
8 – Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) – a 58s900
9 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) a 1m04s900
10 – Michael Schumacher (ALE/Mercedes) – a 1m11s400
11 – Sergio Perez (MEX/Sauber-Ferrari) – a 1m12s700
12 – Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes) – a 1m16s500
13 – Jean-Eric Vergne (FRA/STR-Ferrari) – a 1m30s300
14 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) – a 1m33s700
15 – Daniel Ricciardo (AUS/STR-Ferrari) – a 1 volta
16 – Vitaly Petrov (RUS/Caterham-Renault) – a 1 volta
17 – Heikki Kovalainen (FIN/Caterham-Renault) – a 1 volta
18 – Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) – a 1 volta
19 – Timo Glock (ALE/Marussia-Cosworth) – a 2 voltas
20 – Pedro de la Rosa (ESP/HRT-Cosworth) – a 2 voltas
21 – Narain Karthikeyan (IND/HRT-Cosworth) – a 2 voltas
22 – Bruno Senna (BRA/Williams-Renault) – a 3 voltas

Abandonaram:

Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) na 26ª volta
Charles Pic (FRA/Marussia-Cosworth) na 25ª volta

globoesporte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.