FamosiDrops: “Eu ainda não sei o que vai ser”, diz Bial sobre seu novo programa

Divulgação / TV Globo

Depois de anos comandando programas como “Big Brother Brasil” e o “Fantástico”, Pedro Bial finalmente resolveu investir em uma atração idealizada por ele mesmo. O apresentador recebeu a imprensa em uma coletiva na manhã desta terça-feira (19), para contar como será o “Na Moral”, previsto para estrear na Globo no dia 5 de julho, logo após “Gabriela”.

Sobre os moldes do programa, Bial confessou ainda não saber ao certo como será, já que a atração está em processo de criação. “No início havia uma ideia de que era um talk show, mas não é exatamente isso. Depois falou-se que era um programa de debates, mas também não explica o que pretende ser o ‘Na Moral’. Para ser absolutamente franco com todos, eu ainda não sei o que será o ‘Na Moral’, porque ele ainda não existe. Estamos em pleno processo de criação e não dá para dar nome para aquilo que está em pleno movimento, na dinâmica criativa.”

Contudo, ele adiantou: “Basicamente será um espaço onde, de forma leve, ligeira e profunda ao mesmo tempo, a gente possa conversar, discutir questões que nos afetam e nos desafiam todos os dias. Questões próximas da nossa vida, próximas como cidadãos, como pais, como filhos. Ainda não inventaram outra célula marter senão a família na sociedade. Então é para a gente conversar em família, mas aquela conversa em que se baixam as guardas, onde as coisas são ditas com todas as letras. Nesse espaço a gente descobre que tem grandes diferenças, mas essas diferenças não nos distanciam exatamente, ao contrário, no momento em que elas são expressas elas podem nos aproximar”.

Bial contou que começou a idealizar o novo projeto há cerca de quatro anos. “É o resultado de alguns anos de procura de um formato. Quando eu deixei de apresentar o ‘Fantástico’ e passei a me dedicar a essa busca. No ano passado eu e o Gleiser [Luiz, diretor-geral da atração] começamos a conversar mais como seria o tal programa e o Marcel Souto Maior [redator-final] agregou-se logo em seguida. Então é uma ideia que vem amadurecendo há anos”, disse.

Ele continuou: “O jornalismo tem a velha máxima de que é preciso ouvir os dois lados. Um assunto tem muito mais do que dois lados. E essa é a nossa vontade, que a gente consiga circular em torno do assunto com o maior número de pontos de vista. Quando você faz isso, um ponto de vista será oposto ao outro e nós temos um vício de pensamento, um senso comum, de que pensamentos opostos se excluem, quando o teste de qualquer inteligência é a capacidade de manter duas ideias opostas na mente e continuar funcionando”.

Souto Maior, por sua vez, reforçou que o “Na Moral” terá como principal função abordar temas e questões contemporâneas em diferentes formatos e a partir de diversos pontos de vista. Ele até usou uma frase dita, segundo ele, por Bial para definir a nova produção: “É um programa de debates com um corpinho de show”.

Já Gleiser, não poupou elogios ao apresentador. “A ideia foi buscar os atributos do Pedro que permitissem formar um projeto diferenciado em um ambiente cada vez mais cheio de programas, de canais, de ideias, nessas coisas que crescem exponencialmente. Quando eu paro para pensar, eu não consigo ver nenhum outro talento com quem eu tenha trabalhado ao longo desses anos todos na televisão que tenha a abrangência que o Pedro tem. Que vai desde o repórter que cobre a queda do muro de Berlim, até o sujeito que comanda o Paredão do ‘Big Brother’. Nessa busca do multiformato, eu não consigo imaginar outra pessoa que pudesse conduzir esse programa como o Pedro está começando a fazer”, falou.

 

msn

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.