Uma das obras de infraestrutura de transporte mais importantes para o desenvolvimento do agronegócio no Nordeste do Pará, a construção e pavimentação da PA-256, na região de Integração rio Capim, entrou em nova fase.

Neste sábado (23), o governador Helder Barbalho assinou a Ordem de Serviço, iniciando os trabalhos do primeiro lote da rodovia, que neste trecho receberá asfalto em 56 quilômetros, entre o entroncamento da PA-451 ligando à Vila Nova.

Segundo o governador, a obra integra o primeiro trecho, de quatro etapas do projeto, que inclui ainda a construção da ponte sobre o rio Capim. O outro lote vai ligar Vila Nova à Vila Canaã, no limite entre os municípios de Ipixuna do Pará e Paragominas e, a partir da ponte sobre o rio Capim haverá ligação da rodovia PA-256, com PA-150 no município de Tailândia.

Serão no total, 150 quilômetros de pavimentação, que permitirão a integração da BR-010 (Belém-Brasília) às rodovias estaduais PA-150, PA-140 e PA-252, e ainda de Paragominas (via Belém-Brasília) ao Porto de Vila do Conde, em Barcarena, no Baixo Tocantins, informou o governador.

Helder Barbalho enfatizou que a grande obra de infraestrutura contribuirá para que a região cresça em competitividade e produtividade, valorizando as terras e reduzindo o custo dos produtos comercializados.

A PA-256 é uma das rodovias mais extensas do Pará, com mais de 360 quilômetros, e integra nove municípios: Mocajuba, Cametá, Igarapé-Miri, Moju, Tailândia, Acará, Tomé-Açu, Ipixuna do Pará e Paragominas. Também interliga mais seis rodovias em toda a sua extensão – PA-151, PA-451, PA-150, PA-140, BR-475 e BR-010.

O prefeito de Tomé-Açu, João Francisco Silva, destacou que a pavimentação da PA-256 permitirá o crescimento da produção com qualidade, “pois as estradas são sinônimo de mais segurança, e com certeza garantia de agilidade no escoamento de toda a produção que sairá do Estado”.

O ato de assinatura da Ordem de Serviço de construção e pavimentação da PA-256 contou com a presença do cônsul do Japão Keiji Hamada. Para ele, a comunidade japonesa em Tomé-Açu trouxe desenvolvimento para a região, e há muito tempo espera pelo asfaltamento. “É certo que as obras trarão desenvolvimento tanto para o agronegócio quanto para a população dessa região inteira”, afirmou o cônsul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *